NATAL NORDESTINO




Naquele deserto sem fim,
No chão rachado do sertão,
José caminhava devagar,
Maria tava com um barrigão
Carregada pelo jumentinho
Em silêncio e meditação.

Na primeira cidade que chegaram
Era grande a agitação.
Passaram por uma feira
Que vendia de tudo então:
Bicho vivo, bicho morto,
Muita traia de montão.

O lugar era animado,
Tinha muita diversão.
A música “Asa Branca”
Cantada com emoção
Lembra Luís Gonzaga,
O eterno rei do baião.

Um tocava sanfona,
Outro tinha o triângulo na mão,
Outro tocava a zabumba
Com muita animação.
O forró corria solto
Atraindo a multidão.

José e Maria cansados
Procuravam uma pensão,
Mas tava tudo lotado,
Não tinha mais vaga não.
A cada porta que batiam,
Era a mesma situação.

Voltando então na feira,
Encontraram um bom cristão,
Levaram os dois pra um abrigo,
Pois teve compaixão.
Era apenas uma estrebaria,
Mas tinha proteção.

Depois do sol escaldante
A lua fazia clarão,
Maria deu a luz
Ao filhinho do coração,
Nosso Senhor Jesus Cristo,
O messias da salvação.

Perto dali os cangaceiros
Estavam de prontidão,
Amoitados de tocaia
Quando escutaram uma canção.
Eram os anjos anunciando
O nascimento do Rei e Sua missão.

-Oxente! Vixe! Arre!
O que será esta visão?
Bichinho, cabra da peste,
Não é o bando do Lampião.
Por que tu tá tão avexado?
Tu não é tão valentão?

Eles guardaram as peixeiras
E tomaram uma decisão:
Foram visitar o bebê,
seguiram naquela direção,
Estavam aperreados
Com espanto e admiração.

Levaram rapadura e carne-de-sol
Pra Maria ter sustança;
Um belo chapéu de couro
Pra José, o pai da criança;
Leite de cabra para o neném,
A nossa eterna esperança.

A notícia se espalhou
E foi grande a festança,
Buchada de bode
E muita comilança,
Enquanto na manjedoura
O Menino-Deus descansa.

Nele todos podem ter
Total e plena confiança,
Ele nasceu e morreu
Pra gente ter paz e bonança.
É pelo Seu sacrifício
Que o Céu você alcança.

QUEM FOI MINHA MÃE?


PÁTRIA EDUCADORA


REAÇÕES AO SOFRIMENTO


CARTA AIMÉE


DEUS DOS IMPOSSÍVEIS

FONTE DE VIDA

Nós O amamos
Porque Ele nos amou primeiro.
Nada pode nos separar
Desse AMOR verdadeiro.
Em nosso CORAÇÃO é derramado
Pelo Epírito Santo companheiro.
Faz em nós o Seu templo,
Este Valente Guerreiro.
Com a couraça da justiça,
Está blindado e justificado.
Dele procede as saídas da vida.
Que vêm do nosso AMADO.


NO MELHOR LUGAR

O meu coração está
No refúgio mais seguro,
Na Rocha mais firme
Para o presente e o futuro.
Está dentro do coração do Pai,
Guardado por Sua Paz,
Sob Sua Forte Sombra
Que protege demais.
Lavado pelo sangue do Seu amor,
De Jesus, nosso Salvador,
No nosso coração, eterno morador.
Ele nos preparou mansão real
No coração do Pai Celestial.

CONVOCAÇÃO

Celebrai com júbilo ao Senhor,
Com cânticos de louvor,
Com hinos de alegria,
Em todo tempo, em todo dia.
Somos ovelhas do Bom Pastor,
Ele se fez nosso Salvador.
Servi ao Senhor de coração,
Bendizei-O de geração em geração.
Ele é eternamente fiel,
Assim na Terra como no Céu.
AMIGO DE DEUS-AMIGO

Nesse amigo, eu confio.
Nesse amigo, eu creio sim.
Esse amigo é fiel,
Ele nasceu por mim.

Eu amo esse amigo.
A sua fidelidade é real.
Eu obedeço a esse amigo.
Ele me livra de todo o mal.

Seus braços me acolhem,
Sua mão me segura,
Na minha caminhada presente
Para a eternidade futura.

Está sempre a me ouvir.
Não deixa de me guiar.
É o meu Bom Pastor.
Nunca deixa de me amar.


APELO

Quero sentir
Segundo o coração de Deus
E sempre assim agir.

Um coração puro,
Um coração segundo o Seu,
Um coração reto na Sua Mão.

Um coração que engrandece ao Senhor,
Que honra e glorifica,
Que se alegra em Deus, meu Salvador.

Um coração cheio de confiança,
De verdadeiro adorador,
Cheio de amor e esperança.

Um coração que ama,
Um coração que perdoa,
Que serve e proclama.

Dá-me, ó Deus, um coração ensinável,
Sábio,
Renovável.